METAS – Programa de Ação do 12º Colegiado

Tempo de leitura: 3 minutos

Fonoaudiologia ParticipAtiva – Avançar para expandir

A existência dos Conselhos de Fiscalização das Atividades Profissionais está intrinsecamente ligada à proteção da coletividade. Diferentes de outros sistemas brasileiros, quem define as regras de cada profissão são os próprios profissionais e a Lei prevê regras democráticas para escolha dos conselheiros, que são eleitos pela própria classe.

Entendemos ser fundamental a participação de todos na definição de uma Fonoaudiologia de qualidade, inovadora e ativa. Para uma Fonoaudiologia ParticipAtiva é preciso experiência e disposição a serviço da Fonoaudiologia no Estado do Rio de Janeiro. Estamos construindo uma nova Fonoaudiologia. Participe conosco!

 

Metas 2019 – 2021: 

Cientes de que é preciso adaptar-se aos avanços sociais, científicos e tecnológicos, as propostas estão organizadas em 3 (três) eixos: Participação Social, Valorização Profissional e Gestão Participativa.

a)     Participação Social:

1.     Aumentar a atuação do CREFONO 1 nos espaços de discussão social.

2.     Ampliar o diálogo com entidades profissionais e associações, pois somente o trabalho conjunto entre Conselho, Sindicato e Associações possibilitará a conquista de uma Fonoaudiologia forte e expressiva.

3.     Fortalecer as ações de cidadania, buscando informar e conscientizar a população do saber e do fazer fonoaudiológico.

4.     Participar das discussões e construção de propostas de políticas públicas referentes à saúde e educação, visando à atenção ao recém-nato, escolar, adulto, trabalhador e idoso.

5.     Reforçar a parceria com as Instituições de Ensino Superior para que juntos possamos oferecer ao formando em Fonoaudiologia o acesso às necessárias informações e formação social, políticas e técnica, desenvolvendo seu censo crítico, visão política e consciente de seu papel na sociedade.

6.     Firmar a parceria com outros Conselhos Profissionais de Saúde em prol da melhoria da saúde no Estado do Rio de Janeiro.

7.     Acompanhar as discussões que envolvam as propostas de oferta de cursos na modalidade à distância (EaD).

8.     Ampliar o diálogo entre o Conselho e Instituições de Ensino Superior e uma maior aproximação e participação em atividades práticas/estágio supervisionado no campo de estágio, na busca de uma formação profissional qualitativa e necessidades sociais.

b)    Valorização Profissional:

1.     Ampliação de vagas: buscar a ampliação da oferta de vagas, apoiando, incentivando e fazendo-se cumprir a oferta dos serviços fonoaudiológicos, intensificando a fiscalização dos critérios técnicos e legais adotados para abertura de vagas, tanto no setor público quanto no privado.

2.     Garantir ações de fiscalização efetivas e eficazes, para coibir práticas e/ou exercício ilegal da profissão.

3.     Ampliar o diálogo e dar destaque a ações junto às Operadoras de Plano de Saúde quanto a reajustes e liberações de sessões, como preconiza a ANS.

4.     Planejar eventos como oficinas, lives e palestras, objetivando atender as necessidades sociais, políticas e técnicas do fonoaudiólogo, buscando uma otimização na oferta de seus serviços.

5.     Formular um programa de orientação para fonoaudiólogos, para que através do espírito político empreendedor, visem o reconhecimento profissional e ampliação do mercado de trabalho.

6.     Ampliar os recursos digitais no acesso aos serviços, firmando a entrada do CREFONO 1 na era digital.

7.     Expandir a comunicação, utilizando recursos midiáticos na divulgação da Fonoaudiologia e orientação profissional.

8.     Promover o avanço da Fonoaudiologia.

c)     Gestão Participativa:

1.     Ampliar o espaço para comunicação, tornando-a mais direta, possibilitando identificar as reais necessidades dos profissionais, a partir dessa identificação.

2.     Retomar a realização de eleições para representantes das diversas regiões do estado do Rio de Janeiro, conferindo democracia e legitimidade à representação regional para que os mesmos trabalhem em prol da Fonoaudiologia em sua localidade.

3.     Aproximar os egressos do Conselho Regional de Fonoaudiologia, e demais entidades de classe, no intuito de tornar a Fonoaudiologia mais unida e corporativa.

4.     Ampliar os canais de comunicação, possibilitando uma maior interação entre os fonoaudiólogos, sociedade e Conselho.

5.     Dar maior visibilidade à prestação de contas.

6.     Investir em projetos e ações que envolvam a tecnologia da informação na produção, o armazenamento, a transmissão, o acesso, a segurança e o uso das informações, em prol da melhoria e agilidade dos serviços.

Crefono1-pop_up-ABA