Fonoaudiologia da UFRJ faz 25 anos e anuncia novo mestrado e doutorado

Tempo de leitura: 4 minutos

MedronhoA presidente do CFFa, Sílvia Tavares (CRFa 2-3861) e a diretora do CREFONO1, Priscilla Galindo (CRFa 1-11409) participaram na manhã de hoje, 15 de agosto, da abertura do Simpósio Fonoaudiologia UFRJ, em comemoração pelos 25 anos do curso de graduação em Fonoaudiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O evento, que ocupa o Auditório Quinhentão do Centro de Ciências da Saúde, na Ilha do Fundão, dias 15 e 16 de agosto, reúne cerca de 600 inscritos, entre acadêmicos da UFRJ e de outras universidades (a UFF enviou 25 alunos do campus Nova Friburgo, por exemplo), profissionais e professores.

O diretor da Faculdade de Medicina da UFRJ, Roberto Medronho, coordenou a cerimônia de abertura, ao lado de Sílvia Tavares (CFFa), Priscilla Galindo (CRFa 1ª Região), Leslie Piccolotto (SBFa), Lídia Becker (Departamento de Fonoaudiologia UFRJ), Cláudia Drummond (Graduação Fonoaudiologia UFRJ), Silvana Frota (docente UFRJ) e Leonardo Yan (Centro Acadêmico UFRJ).

Sílvia Tavares agradeceu o empenho de todos na construção de um curso de excelência, um dos melhores do Brasil. “Em nome do Conselho Federal, agradeço aos professores que formam profissionais humanos, críticos e generalistas, que tanto ajudam a população”.

Conselheiras 2
As conselheiras Silvia Tavares (CFFa) e Priscilla Galindo (1ª Região), a coordenadora da graduação da UFRJ, Claudia Drummond e as professoras Leila Nagib e Silvana Frota.

Priscilla Galindo disse que o dia era de comemorar vitórias. “O Regional está de portas abertas, porque acreditamos numa Fonoaudiologia Participativa. As primeiras duas horas de nossas plenárias são abertas à participação dos profissionais. Queremos contar com a contribuição de todos na construção de uma Fonoaudiologia mais humana”, ressaltou.

Leslie Piccolotto (CRFa 2-427) disse que, aos 25 anos, já  se está “mais maduro” para repensar a Fonoaudiologia. “Queremos contar com a participação do Rio de Janeiro em nosso próximo congresso, em Minas Gerais, em outubro. Precisamos consolidar essa união, sindicatos, conselhos e associações. Precisamos estar juntos”, convidou a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia.

Para Lídia Becker (CRFa 1-9743), esses 25 anos de Fonoaudiologia na UFRJ foram de trabalho sólido e constante para entregar à sociedade novos fonoaudiólogos, éticos e competentes. “A comunicação é um encontro. A vida é um encontro. Que este seja um grande encontro para todos nós”.

Leonardo Yan, representante do corpo discente, salientou que os acadêmicos de Fonoaudiologia da UFRJ atualmente têm mais voz ativa no movimento estudantil e quebrou o protocolo, homenageando os professores com flores. “Nossa gratidão a vocês”.

Professores homenageadosMas coube a Silvana Frota (CRFa 1-4725-4) homenagear um a um todos os professores, arrancando aplausos dos presentes e emocionando a todos. “Nosso sonho é construir esperança, entregar profissionais bem formados, capazes de melhorar a qualidade de vida das pessoas”. E Claudia Drummond (CRFa 1-5503-3) relembrou todas as coordenadoras da graduação que lhe antecederam. “Faltam tantas coisas, mas a gente tem a capacidade de superação, porque temos um corpo docente espetacular. E alunos focados, dedicados”, afirmou, visivelmente emocionada.

Novo mestrado e doutorado em Reabilitação

O diretor Roberto Medronho rebateu Claudia Drummond: “Podem faltar coisas materiais, Claudia, mas não qualidade e dedicação. Há muitos saberes e muito afeto aqui. Gostaria que os 14 Departamentos que tenho na Faculdade de Medicina funcionassem como funciona o de Fonoaudiologia”, brincou. E presenteou a todos com uma novidade que vai movimentar o meio acadêmico do estado: a congregação de Medicina da UFRJ aprovou por unanimidade, na última terça-feira (13 de agosto), a criação do mestrado e doutorado em Reabilitação em Ciências da Saúde, envolvendo os cursos de Fonoaudiologia, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. “Só dependemos agora do aval da Reitoria da universidade para submeter a proposta ao CNPQ. Nossa ideia é abrir as primeiras vagas em 2020”.

PublicoApós a visitação aos pôsteres e estandes de jogos e livros, o mais novo professor de Fonoaudiologia da UFRJ, Rodrigo Dornelas (CRFa 1-1524-2), convidou Carolina Magalhães (CRFa 1-11179) para mediar a mesa sobre infância e adolescência, com a participação de Deborah Feijó (CRFa 1-4464), Haydée Wertzner  (CRFa 2-941), Irene Marchesan  (CRFa 2-152) e Liliane Desgualdo (CRFa 2-2329).

As mesas redondas debatem a Fonoaudiologia pelos ciclos da vida. No final da tarde de hoje (15 de agosto), o tema é envelhecimento, com mediação de Mariana Brendim (CRFa 1-11812) e participação de Deborah Sales (CRFa 1-10049), Domingos Sávio  (CRFa 1-4626), Maria Isabel D’Avila (CRFa 3-6630) e Renata Mamede (CRFa 2-4027).

O debate continua nesta sexta-feira, 16 de agosto. Confira a programação.

Veja mais fotos.

 

Por Rose Maria S. Alves, Assessoria de Imprensa

Fotos: Rose Maria S. Alves

Em 15 de agosto de 2019

Crefono1-pop_up-ABA